Fotos enchente rio do sul hoje

Fotos enchente rio do sul hoje

Identificar as condições do ambiente que favorecem a saúde e aquelas que comprometem uma vida saudável;

Investigar doenças que estejam relacionadas a uma má higiene ambiental.

Valorizar e adotar hábitos saudáveis agindo com responsabilidade em relação a sua saúde e a saúde coletiva;

Produzir cartilhas para divulgar na escola e comunidade sobre hábitos saudáveis de higiene ambiental.

Não são necessários conhecimentos prévios.

EXECUÇÃO DAS ATIVIDADES  

Introdução: uma abordagem para o professor   

Antes de iniciar propriamente a aula se torna necessário discutir alguns conceitos essenciais para compreensão do tema a ser explorado. Inicialmente é importante esclarecer que em se tratando de higiene ambiental vamos priorizar atividades que remetam a qualidade da água, do ar e do solo e aos principais problemas decorrentes da poluição desses componentes de um ambiente.

Antes, porém, é imprescindível abordar os conceitos de saúde e de ambiente que serviram de subsídios para o planejamento desta aula.

Para isso, transcrevo trecho do documento Brasil. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: meio ambiente, saúde / Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília

“Saúde é o estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença.” Tantas vezes citado, o conceito adotado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em 1948, longe de ser uma realidade, simboliza um compromisso, um horizonte a ser perseguido. Remete à idéia de uma “saúde ótima”, possivelmente inatingível e utópica já que a mudança, e não a estabilidade é predominante na vida. Saúde não é um “estado estável”, que uma vez atingido possa ser mantido.

A própria compreensão de saúde tem também alto grau de subjetividade e determinação histórica, na medida em que indivíduos e sociedades consideram ter mais ou menos saúde dependendo do momento, do referencial e dos valores que atribuam a uma situação.

Diversas tentativas vêm sendo feitas a fim de se construir um conceito mais dinâmico, que dê conta de tratar a saúde, não como imagem complementar da doença, e sim, como construção permanente de cada indivíduo e da coletividade. Ela deve se expressar na luta pela ampliação do uso das potencialidades de cada pessoa e da sociedade, refletindo sua capacidade de defender a vida.

Assumido o conceito da OMS, nenhum ser humano (ou população) será totalmente saudável ou totalmente doente. Ao longo de sua existência, viverá condições de saúde/doença, de acordo com suas potencialidades, suas condições de vida e sua interação com elas.

Além disso, os enfoques segundo os quais a condição de saúde individual é determinada unicamente pela realidade social ou pela ação do poder público, tanto quanto a visão inversa, nem por isso menos determinista, que coloca todo peso no indivíduo, em sua herança genética e em seu empenho pessoal, precisam ser rompidos. Interferir sobre o processo saúde/doença está ao alcance de todos e não é uma tarefa a ser delegada, deixando ao cidadão ou à sociedade o papel de objeto da intervenção “da natureza”, do poder público, dos profissionais de saúde ou, eventualmente, de vítima do resultado de suas ações. (...)

A escola, sozinha, não levará os alunos a adquirirem saúde. Pode e deve, entretanto, fornecer elementos que os capacitem para uma vida saudável.

Não se pode compreender ou transformar a situação de saúde de um indivíduo ou de uma coletividade sem levar em conta que ela é produzida nas relações com o meio físico, social e cultural.  

Intrincados mecanismos determinam as condições de vida das pessoas e a maneira como nascem, vivem e morrem, bem como suas vivências em saúde e doença. Entre os inúmeros fatores determinantes da condição de saúde, incluem-se os condicionantes biológicos (idade, sexo, características pessoais eventualmente determinadas pela herança genética), o meio físico (que abrange condições geográficas, características da ocupação humana, fontes de água para consumo, disponibilidade e qualidade dos alimentos, condições de habitação), assim como o meio socioeconômico e cultural, que expressa os níveis de ocupação e renda, o acesso à educação formal e ao lazer, os graus de liberdade, hábitos e formas de relacionamento interpessoal, a possibilidade de acesso aos serviços voltados para a promoção e recuperação da saúde e a qualidade da atenção por eles prestada.(....)

(...) O conceito de “Cidade Saudável”, originado no Canadá na década de 80, serve hoje como parâmetro para nortear projetos de saúde que vêm se desenvolvendo em diversas partes do mundo, a partir da sua incorporação pela OMS. Considera-se que uma “Cidade Saudável” deve ter:  

• uma comunidade forte, solidária e constituída sobre bases de justiça social, na qual ocorre alto grau de participação da população nas decisões do poder público;  

• ambiente favorável à qualidade de vida e saúde, limpo e seguro; satisfação das necessidades básicas dos cidadãos, incluídos a alimentação, a moradia, o trabalho, o acesso a serviços de qualidade em saúde, à educação e à assistência social;   

• vida cultural ativa, sendo promovido o contato com a herança cultural e a participação numa grande variedade de experiências;   

• economia forte, diversificada e inovadora.

Nesse contexto, falar de saúde implica levar em conta, por exemplo, a qualidade da água que se consome e do ar que se respira; as condições de fabricação e uso de equipamentos nucleares ou bélicos; o consumismo desenfreado e a miséria; a degradação social ou a desnutrição; estilos de vida pessoais e formas de inserção das diferentes parcelas da população no mundo do trabalho; envolve aspectos éticos relacionados ao direito à vida e à saúde, direitos e deveres, ações e omissões de indivíduos e grupos sociais, dos serviços privados e do poder público. (...)

De acordo com esse documento espera-se que os alunos sejam capazes de:

.compreender que a saúde é um direito de todos e uma dimensão essencial do crescimento e desenvolvimento do ser humano;   

• compreender que a condição de saúde é produzida nas relações com o meio físico, econômico e sociocultural, identificando fatores de risco à saúde pessoal e coletiva presentes no meio em que vivem;   

• conhecer e utilizar formas de intervenção individual e coletiva sobre os fatores desfavoráveis à saúde, agindo com responsabilidade em relação à sua saúde e à saúde da comunidade;   

• conhecer formas de acesso aos recursos da comunidade e as possibilidades de utilização dos serviços voltados para a promoção, proteção e recuperação da saúde;   

• adotar hábitos de autocuidado, respeitando as possibilidades e limites do próprio corpo.  

Por outro lado, de acordo com o PCN entende-se que o conceito de meio ambiente ainda vem sendo construído. Por enquanto, ele é definido de modo diferente por especialistas de diferentes ciências. (...)

(...) De qualquer forma, o termo “meio ambiente” tem sido utilizado para indicar um “espaço” (com seus componentes bióticos e abióticos e suas interações) em que um ser vive e se desenvolve, trocando energia e interagindo com ele, sendo transformado e transformando-o. No caso do ser humano, ao espaço físico e biológico soma-se o “espaço” sociocultural. Interagindo com os elementos do seu ambiente, a humanidade provoca tipos de modificação que se transformam com o passar da história. E, ao transformar o ambiente, o homem também muda sua própria visão a respeito da natureza e do meio em que vive. (...)

Dentro deste contexto esperamos que esta aula contribua para que o aluno perceba a relação entre a qualidade de vida e um ambiente saudável e que reconheça que a qualidade de vida está ligada às condições de higiene e saneamento básico, à qualidade do ar, da água e do espaço, assumindo por meio de atitudes cotidianas a valorização da qualidade do ambiente, inclusive demonstrando uma postura crítica diante da própria realidade.  

Para ler o documento na integra acesse os links a seguir:  

http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro091.pdf PCN Meio ambiente e saúde acesso em 08 de setembro de 2010-09-07   

http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro092.pdf  PCN Saúde acesso em 08 de setembro de 2010-09-07   

Estratégia:   

Como os alunos poderão atingir os objetivos propostos:   

Os alunos poderão atingir os objetivos propostos através de conversa dialogada em que vão expor suas ideias sobre o que é higiene pessoal e ambiental, refletindo sobre a relação entre a higiene pessoal e coletiva e a saúde das pessoas, por meio das atividades desenvolvidas para explorar o assunto da aula.   

Como o professor irá ativar esse processo:   

Levantando situações – problema em que os alunos serão estimulados a emitir suas ideias sobre o que é ambiente e saúde buscando estabelecer  relação entre higiene pessoal e coletiva. Através das discussões e atividades desenvolvidas esperamos contribuir para a construção dos conhecimentos e sistematização do estudo.

Atividade 1  

 Inicie a aula apresentando para os alunos imagens como as sugeridas abaixo, explorando-as com a turma.  

 http://www.geologiadobrasil.com.br/images/Cena%20enchente%20SP_2.jpg 

http://www.dialogosuniversitarios.com.br/UserFiles/91/Image/Responsabilidade/lixo.jpg  

 Sugestão de diálogo:  

. Como é o ambiente representado em cada imagem?

. Que situações elas representam? Quem são os responsáveis pelas situações apresentadas?

. Quais as possíveis causas das enchentes?

. Que prejuízos elas podem trazer para o ambiente e o ser humano?

. Que relação existe entre enchentes e doenças?

. Quais são as possíveis causas da poluição do ar?

. Que prejuízos a poluição do ar pode trazer para o ambiente e o ser humano?

. Que relação existe entre a poluição do ar e doenças?

. Como o lixo prejudica o ambiente e o ser humano?

. Que doenças as pessoas podem adquirir através do contato com o lixo?

Explique para os alunos que a higiene pessoal contribui para uma vida saudável. Retome com a turma quais são os hábitos de higiene pessoal que devem fazer parte do nosso dia a dia.  

Os alunos podem citar hábitos relacionados a higiene pessoal como escovar os dentes, tomar banho diariamente, lavar as mãos antes das refeições e sempre que necessário, e aquelas relacionadas ao ambiente como colocar o lixo para ser recolhido no dia certo, deixar nossas casas e quintais limpos, dentre outras.

Questione os alunos sobre situações que prejudicam o ambiente e consequentemente a nossa saúde. Oriente a discussão de forma que eles citem as situações apresentadas nas fotos. Explique que a poluição ambiental influi de maneira decisiva e negativa para uma vida saudável e que podemos definir poluição ambiental como a ação de contaminar as águas, solos e ar. Esta poluição pode ocorrer com a liberação no meio ambiente de lixo orgânico, industrial, gases poluentes, objetos materiais, elementos químicos, entre outros. 

A poluição ambiental prejudica o funcionamento dos ecossistemas, chegando a matar várias espécies animais e vegetais. O homem também é prejudicado com este tipo de ação, pois depende muito dos recursos hídricos, do ar e do solo para sobreviver com qualidade de vida e saúde. Por isso, nesta aula serão estudadas as consequências da poluição para o ambiente e o ser humano e medidas pessoais e coletivas que contribuem para a saúde do ambiente e das pessoas.

Para melhor se informar sobre o tema da aula leia os textos dos links sugeridos a seguir.

http://www.suapesquisa.com/poluicaodaagua/  acesso em 6 de setembro de 2010.   http://www.suapesquisa.com/poluicaodoar/ acesso em 6 de setembro de 2010.     

http://www.todabiologia.com/ecologia/poluicao_dos_solos.htm acesso em 6 de setembro de 2010. 

Atividade 2   

A seguir sugerimos vídeos relacionados a poluição da água, do ar e do solo e as consequências dessa poluição para o ambiente e as pessoas. Sugerimos algumas questões para discussão com os alunos. Outras poderão ser levantadas por você de acordo com sua turma. Para isso, assista aos vídeos, e anote as questões antes de apresentá-los para os alunos. Projete-os um de cada vez e mais de uma vez. Ao término da projeção organize os alunos em semicírculo e proponha a discussão sugerida.  

 Poluição da água

http://www.youtube.com/watch?v=F_73B2rziRY vídeo poluição da água 6: 35 min.   

http://www.youtube.com/watch?v=1p0YytRv31g&feature=related vídeo poluição da água solução 3:25 min.   

 Itens para discussão 

 Video 1

. O que causa a poluição do rio Tiete em Santana do Parnaíba?

. Como fica a água poluida?

. Por que o esgoto não é tratado nesta cidade?

. O que o governo e as pessoas precisam fazer para não poluir o rio?

Vídeo 2

. Qual a solução encontrada para despoluir as águas do Tiete?

. Por que o paulistano não reconhece o rio Tiete como um cartão postal?

. Para que serve o flutuador colocado no rio?

Poluição do ar  

http://www.youtube.com/watch?v=biW-bBAstoQ&feature=related vídeo poluição do ar em 6 capitais do Brasil    

Itens para discussão 

. Quais os maiores responsáveis pela poluição atmosférica?

. Como a poluição afeta a saúde das pessoas?

. Em que capitais a pesquisa foi realizada?  Na sua opinião porque essas capitais foram escolhidas?

Poluição do solo   

http://www.youtube.com/watch?v=JNsfiIxg97c 2:41 Lixo no Rio de Janeiro    

http://www.youtube.com/watch?v=CiO32gj_bVg&feature=related  reciclar o lixo: alternativas já colocadas em prática jornal nacional rede globo 4:30 min.     

 Itens para discussão 

Vídeo 1

. Como o solo pode ser poluído?

. Que relação existe entre lixo e enchente?

. E entre enchente e a saúde das pessoas?

Vídeo 2

. Que atitudes contribuem para aumentar a recligem do lixo?

. Por que é importante a participação de todos para o aumento da reciclagem?

. Por que reciclar é importante para o ambiente e a saúde das pessoas?

Atividade 3   

Proponha aos alunos uma pesquisa para conhecer as principais doenças de veiculação hídrica e aquelas relacionadas ao solo e ao ar. Os alunos deverão fazer o registro das informações obtidas e apresentá-las para a turma, em dia previamente combinado. O professor organiza se possível, a turma em círculo e propõe a apresentação em forma de seminário.

Como são várias doenças de veiculação hídrica ou relacionadas ao solo e ao ar sugerimos que a atividade seja realizada em duplas. Organize os alunos de maneira que cada dupla investigue sobre uma doença. Ensine-os se preciso a utilizar o buscador Google e palavras chave para localizar o assunto que se deseja investigar. Neste caso as palavras chave são os nomes das doenças sugeridas para a pesquisa.      

Sugestão de roteiro para orientar a pesquisa:

Nome da doença

Agente causador

Como se contrai

Sinais e sintomas

Como tratar

Como evitar

Destacamos algumas doenças e sugerimos alguns sites para pesquisa. Outros recursos poderão se usados com livros, folhetos, revistas etc.  

Doenças de veiculação hídrica: Gastrenterite Amebíase Giardíase Febre tifóide Cólera Leptospirose Verminoses (esquistossomose ou xistose)

ftp://ftp.cve.saude.sp.gov.br/doc_tec/hidrica/doc/dta09_pergresp.pdf  -  doenças relacionadas à água ou de transmissão hídrica -  perguntas e respostas e dados estatísticos –  consultado em agosto de 2010   

http://sitesms.curitiba.pr.gov.br/saude/areastematicas/saude_ambiental/veiculacaohidrica.htm quadro resumo de algumas doenças de veiculação hídrica. consultado em agosto de 2010      

http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/doencas-relacionadas-com-a-agua/doencas-relacionadas-com-a-agua-4.php acesso em 08 de setembro de 2010.   

http://www.colegioweb.com.br/ciencias-infantil/a-importancia-da-agua-na-historia-do-homem acesso em 08 de setembro de 2010-09-07   

Doenças relacionadas ao solo: Tétano e Verminoses (ascaridíase, teníases, cisticerco, oxiurose, ancilostomose o amarelão)  

http://www.colegioweb.com.br/ciencias-infantil/o-solo-e-a-agua-transmitem-doencas acesso em 08 de setembro de 2010-09-07   

http://www.dec.ufcg.edu.br/saneamento/SBER3.html doenças relacionadas aos dejetos no meio rural acesso em 08 de setembro de 2010-09-07   

http://www.youtube.com/watch?v=PhAu5fDfKzY vídeo doenças relacionadas ao solo 4: 00min.  acesso em 08 de setembro de 2010-09-07   

Doenças relacionadas ao ar

.Doenças alérgicas (bronquite, rinite e asma)

.Causados por vírus (resfriado, gripe), outras viroses (caxumba, sarampo, rubéola, poliomielite, catapora)

.Causadas por bactérias (tuberculose, meningite meningocócica, pneumonia bacteriana, coqueluche)

O ar poluído pode conter materiais capazes de causar sérios danos a saúde humana. Além de materiais poluentes, o ar também pode conter diferentes tipos de microorganismos causadores de doenças. Neste caso dizemos que o ar está contaminado. Por isso, incluímos doenças causadas por vírus e bactérias.  

 http://www.todabiologia.com/ecologia/poluicao_do_ar.htm acesso em 08 de setembro de 2010-09-07 

 http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/viroses/ acesso em 14 de setembro de 2010-09-07 

http://www.suapesquisa.com/ecologiasaude/bacterias/ acesso em 14 de setembro de 2010-09-07   

Atividade 4   

Oriente os alunos na elaboração de um folheto sobre as doenças de veiculação hídrica e aquelas relacionadas ao solo e ao ar. Explique-lhes que esse folheto será distribuído na escola para informar as pessoas sobre as doenças e medidas gerais de proteção.

Veja orientações de como fazer folhetos utilizando o computador. Esse folheto poderá ser feito com a ajuda do setor de informática da escola e ser digitalizado e impresso. Depois do trabalho realizado, exponha na escola e distribua os folhetos para a comunidade.

Sugestão de como fazer um folheto informativo: http://www.scribd.com/doc/18341076/Como-Fazer-Um-Folheto-No-Publisher - embora a sugestão seja para folheto virtual, as ideias se aplicam na elaboração de um folheto impresso. – consultado em agosto de 2010. 

Caso decida pela elaboração do folheto manuscrito segue uma sugestão para ser apresentada a turma. Peça aos alunos para trazer para a sala de aula, em dia previamente combinado, modelos de folheto obtidos em unidades de saúde, distribuídos pela prefeitura, dentre outros.  A análise desse material auxilia no planejamento de como será o folheto a ser elaborado. Discuta com a turma como as palavras e os desenhos são apresentados neste tipo de portador (letras grandes, de cores fortes e bem visíveis).   

http://www.slideshare.net/asspais/gripe-a-folheto-informativo - sugestão de folheto informativo sobre a gripe A (H1N1). 

http://www.ct.gov/ctfluwatch/lib/ctfluwatch/h1n1/h1n1_talking_to_children_portuguese_brazil.pdf sugestão de folheto informativo sobre a gripe A (H1N1).   

Atividade 5   

Distribua para os alunos uma lista com várias medidas que contribuem para evitar as doenças de veiculação hídricas e aquelas relacionadas ao ar e ao solo. Peça aos alunos que numerem de acordo com o título:

1. Medidas que dependem das famílias

2. Medidas que são de responsabilidade do governo

3. Medidas que dependem da família e do governo  

A numeração indicada é apresentada como sugestão de resposta. Sabemos que a participação da comunidade é essencial na fiscalização do trabalho realizado pelos órgãos governamentais.

Ferver ou filtrar a água.   1

Não entrar em águas paradas ou onde existam caramujos. 1 

Manter hábitos de higiene sanitária, pessoal, com os alimentos e utensílios usados em seu preparo.  1 

Manter hábitos de higiene onde as pessoas vivem e trabalham.  1

 Ter condições de saneamento básico.   2

Ter acesso a educação e informação contínua.  2 

Medicina preventiva (vacinas, educação sanitária, orientação nutricional).   2

Atendimento médico.  2

 Repasse de renda a famílias carentes.  2

Proteção dos mananciais, inclusive medidas de controle de poluição das águas.  3 

Tratamento adequado da água, com operação continuamente satisfatória.   2

Sistema de distribuição da água bem projetado, construído, mantido e operado.  2 

Controle permanente da qualidade bacteriológica e química da água da rede de distribuição, ou, preferivelmente, na torneira do consumidor.   2

Solução sanitária para o problema da coleta e da disposição dos esgotos e, em particular dos dejetos humanos, tendo sempre como uma das finalidades a proteção do abastecimento de água potável.  2

Observar, na zona rural, as medidas indicadas para a proteção dos poços, nascentes e mananciais de superfície, inclusive a construção de sistema mais aconselháveis para o destino satisfatório dos dejetos, evitando a poluição direta da superfície, do solo ou das coleções líquidas. 3

Melhoria da qualidade da água suprida às pequenas comunidades, auxiliando-as técnicas e financeiramente a utilizarem métodos simples e pouco dispendiosos de tratamento, inclusive desinfecção, quando necessário.   2

Acondicionamento, coleta, transporte, tratamento e/ou disposição final de lixo.   3

Controle de artrópodes, notadamente moscas domésticas e das baratas.   3

Evitar o desperdício de água.  1

Usar carros abastecidos a álcool em lugar da gasolina.  3

 Mudar os modos de produção reduzindo o uso de recursos naturais.  2 

Fazer a reciclagem de plásticos, latas de alumínio e de papéis.   3

Reduzir o consumo.   1

Discuta com os alunos os itens acima e peça que justifiquem a numeração proposta.  

    

Avaliar numa perspectiva formativa implica estar atento à construção de conhecimentos conceituais, comportamentais e atitudinais de nossos alunos durante todo o processo de ensino e aprendizagem. Por isso é importante estar atento a todo o percurso do aluno enquanto aprende: suas ideias iniciais, aquelas apresentadas durante o trabalho desenvolvido, à maneira que relaciona com os colegas, sua atitude investigativa e crítica, no decorrer da aula, o seu envolvimento e participação nas diferentes atividades realizadas. A proposta das atividades sugeridas para o desenvolvimento do tema higiene ambiental e saúde, por si só já lhe ofereceu muitos dados para que possa avaliar o aprendizado dos alunos tanto em relação aos conhecimentos conceituais como os comportamentais e atidutinais trabalhados.

Como avaliação final proponha a seguinte atividade: Crie uma história em quadrinhos em que você dialogue com um colega menino ou menina, comentando o que você aprendeu ao desenvolver as atividades propostas sobre os temas trabalhados:

.Importância da higiene pessoal e ambiental;

.Os prejuízos da poluição para a saúde das pessoas e do ambiente;

.Atitudes que contribuem para a saúde do ambiente e das pessoas.

Fotos enchente rio do sul hoje 30
G1 Rio de Janeiro: not cias e v deos da Globo
Fotos enchente rio do sul hoje 91
Revista MPAC Julho/Agosto 2016 by Minist rio P blico do
Fotos enchente rio do sul hoje 43
Conhe a os diferentes roteiros na regi o sul do Brasil
Fotos enchente rio do sul hoje 76
Portal do Professor - Leitura e produ o textual: um
Fotos enchente rio do sul hoje 77
Ap s falar que pobre no BBB 17, fam lia de Emilly
Fotos enchente rio do sul hoje 29
FNAT /INATEL Hist rico B. S. Jo o Atl tico Clube
Fotos enchente rio do sul hoje 1
Fotos enchente rio do sul hoje 86
Fotos enchente rio do sul hoje 67
Fotos enchente rio do sul hoje 14
Fotos enchente rio do sul hoje 10
Fotos enchente rio do sul hoje 14
Fotos enchente rio do sul hoje 52
Fotos enchente rio do sul hoje 96
Fotos enchente rio do sul hoje 34
Fotos enchente rio do sul hoje 37