Fotos de peixes de agua doce ornamentais



Fotos de peixes de agua doce ornamentais

KIMBUNDU / PORTUGUÊS

VOCÁBULOS

ADUELAS –tábuas arqueadas que formam o corpo de certas vasilhas (toneis pipas).
ACACHADO – tapado ,coberto
Á-COTA – mais-velha ( a primeira mulher dum polígamo)
AIBENCA – avenca
AMBANQUIZAR – tornar gongórico, retórico ( que é o estilo de fala e escrita de ambaquistas). Ambaquista – natural da região de Ambaca, cujos naturais são conhecidos pela sua arte oratória e mania requerimentista; iron – aquele que reclama por tudo.
AMULUMBADO – corcunda, curvado
ANANDENGUE – crianças
AQUIUAIADO – aputado; com ar ou maneira de puta
ARREGANHAR- ameaçar
ASSAMBIZANGADO – ao modo dos de Sambinzanga
ASSIMILADO- em 1954 o Estatuto dos povos coloniais das possessões portuguesas estabeleceu que mediante certas condições era possível aos “ indígenas” adquirirem a cidadania, passando à situação de assimilados. Entre essas condições incluíam-se o “ falar correctamente a língua portuguesa”, dispor de rendimentos de trabalho ou bens próprios considerados suficientes e “ter bom comportamento e ter adquirido a educação e os costumes necessários à aplicação integral do direito público e privado dos cidadãos portugueses” (sic)
B
BAGRE- peixe do rio, que vive no lodo
BAILUNDO – Indivíduo do povo Bailundo ( subgrupo do grupo etno-linguístico Mbundo ou Ovimbundo, localizado a meio da metade ocidental de Angola
BALAIO – cesta
BANGA – ademanes de vaidade
BANZO – espantado
BARROS – areias, terras
BASSULA – golpe de luta de pescadores em que se derruba o adversário com um jeito de corpo
BÊ-Ò – abreviação de Bairro Operário ( Luanda
BERRENTA – a que dá berros
BERRIDA – corrida, fazer fugir
BESSANGANAS – mulheres luandenses, normalmente de idade, que mantiveram o uso de panos, vestuário tradicional. BESSANGANA é “beça ngana!” (“ a sua bênção, senhora!”) porque assim eram saudadas, à moda antiga
BIENO – do Bié
BILHA – berlinde
BINDA – pequena cabaça
BISSAPA – arbusto
BITACAIA – pulga que penetra nos dedos
BOMBÓ –mandioca que ,descascada ou não, conforme a região, fica de maceração uns quatro dias, podendo ser seca ao sol ou não, também conforme a região. Come-se assada , acompanhando qualquer alimento. De “Kubombeka” .- pôr de molho
BRINCOS_DE_MULATA – flores de arbusto de jardim, comum em Luanda
BRUGAU – corruptela de burgau
BUFIO – bufo , sopro , ar
BUNGULAR – saracotear-se. Aportuguesamento de “kubungula”
C
CABEBELE_TAXI – jogo de pedrinhas comum em Luanda e arredores
CABEÇA_DE_PUNGO –peixe bastante abundante nas águas de Mocâmedes ; por extensão , os naturais de Mocâmedes
CABETULA – dança de carnaval, tradicional
CABIRI – diz-se dos cães rafeiros, vira-latas, Kabiri ou Kabidi
CABOBO – aquele que não tem dentes
CABRITA, CABRITO –diz-se dos filhos de mulato/a e branca/o
CACIMBA – lagoa formada pela chuva, grande buraco escavado para conservar água; poço cisterna
CACIMBADO – cheio de cacimbo, enevoado (forma popular) maluco
CACIMBO – estação de frio, Inverno tropical: relento; orvalho
CACUSO – natural de Kakusu ( Malange)
CACUSSO – peixe de que existem duas variedades : uma de rio, outra do mar.
De kukusula – ser encarnado. Alusão `coloração.
CADAQUAL – cada um
CADAVEZ – talvez
CAFOFO – cego , invisual ; diminutivo de quifofo, ceguinho
CAFREALIZADO – africanizado ( depreciativo)
CAFUCA – insecto que , na areia solta, se esconde fazendo um vórtice onde caem outros que devora depois
CAFUCAMBOLAR – cambalhotar
CAFUSO – filho/a de negro/a e mestiça/o, que escurece
CAHOMBO – jindungo grande. O jindungo pode ser de cahombo e de calequeta. O primeiro é arredondado, com um cheiro a cabra, de onde vem o nome (“kahombo” = cabrito). Dado o seu cheiro característico , o jindungo-de-cahombo reluta muita gente. Contudo é bastante saboroso
CALEMA – ondulação marítima bastante agitada
CALEQUETA – jindungo comum, normal.. Este, oblongo, é bastante picante, razão do seu epíteto, por alusão à circunstância de, com o ardor, se deitar a língua de fora – acto que, quando visando a prova de alimento , se denomina, em kimbundu, “kuleketa”
CALUANDA – natural de Luanda
CALUANDANO – de luanda
CALUNDU – do kimbundu “ kalundu, kilundu/ilundu – espírito. Mesmo sentido
CAMABUÌNHI – o que não tem dentes ; o que tem falhas de dentes
CAMAUINDO – o que tem o pé cheio de pulgas ou buracos, feridas provocadas por pulgas (bitacaias)
CAMBOTERMOS – desavergonhado, sem vergonha
CAMBULAR – atrair , adular , lisonjear , chamar , arregimentar , aliciar. Do kimbundu “ kukambula” – apanhar uma coisa em movimento
CAMBUTA – baixo , pequeno. Do kimbundu “kambuta”
CAMBUNTITA – diminutivo de cambuta
CAMUNDONGO – nome dado aos naturais de Luanda, especialmente pelos habitantes do sul e que envolve um certo sentido pejorativo. Natural da região abrangida pelo antigo reino do Dongo, que ia de Kalandula a Luanda. Deturpação do Umbundo “oka” (depreciação) + “um” ( naturalidade) + Ndongo ( o dito território)
CAMUELO – invejoso, açambarcador, o que não gosta de dar , o que não é generoso. Do kimbundu “ muelu” – soleira da porta ; por extensão, alusivo à estreiteza
CANDENGUE – “ndengue” é o mais novo, jovem , criança
CANDINGOLO – bebida fermentada a partir do milho
CANGUNDO – branco de baixa condição, ordinário
CAPANGA – o golpe de luta e ,simultaneamemte , o arco descrito pelo braço dobrado que passa à volta do pescoço. Tb. Nuca , pescoço
CAPARANDANDA – muito antigo, antepassado
CAPIANGO – roubo , deliquência , furto
CAPIANGUISTA – gatuno ; aquele que vive do capiango
CAPIM – designação genérica de numerosas plantas, em geral forraginosas. Revestem frequentemente grandes superficíes nas regiões tropicais, formando pastagens naturais. Ervas que atingem grandes alturas certas épocas do ano , a seguir às chuvas
CAPUTO – “ puto” é português, o governo português, portanto branco português
CAP’VERDE – pronuncia luandense de Cabo Verde; cabo-verdiano.
CAQUINDA – cesta pequena
CARIBALA – careca , calvo. Do kimbundu “karibala”
CARIENGUE .- de aluguer, assalariado. Do kimbundu “kadiengue.
CASCABULHO – a palha que resta do descascar do dendém
CASSANDA – em Luanda, branca de má educação, ordinária. ( Ao que parece, muito antigamente, este termo designava as brancas e mestiças que andavam vestidas de panos
CASSAFO – galinha ordinária; que tem as penas eriçadas; que não é de raça
CASSÊXI – corçazinha, pequeno antílope
CASSUMBULAR – tirar, por meio de jogo infantil, a cassumbula
CASSULA – último filho. Nome dado a esse indíviduo
CASSULE – o mesmo que cassula
CATETENSE – natural de Catete ( perto de Luanda)
CAUETO – aquele que usa vestuário muito apertado, à moda dos anos 1920/30 . De kuuhetuka – ficar muito justo
CAXINJIANGUELLE – esquilo ; pequeno roedor que mora nas palmeiras
CAZANGA – ilha do mar de Belas (Corimba)
CAZUCUTA – dança de carnaval com muito ritmo e pouca melodia
CAZUMBI – alma de antepassado , alma errante, espírito. Aportuguesamento do kimbundu “nzumbi” resultante de “kuzumbika” – importunar, perseguir
CÊ-EFE-BÊ – caminhos de ferro de Benguela
CÊ-EFE-ÉLE – caminhos de ferro de Luanda
CHICRONHA – natural do Lubango. Corruptela de colono
CHIPANZO – chimpanzé
CHITACA – pequena fazenda, geralmente hortícola
CHUVA-DE-CAJU – é um chuvisco real que pode durar um mês e que antecede as verdadeiras grandes chuvas (janeiro e fevereiro) e que volta a cair depois. Mas chega para fazer nascer folhas novas aos cajueiros, e flor! Daí chuva de caju
CIPAIO – soldado africano, encarregado de executar as ordens das autoridades admnistrativas
CINZIDA – cinzida de cinza
COCAIAR – espreitar . Do kimbundu “ kukaia” , mesmo sentido
COCHILAR – dormitar , cabecear
COMBAIRRO – do mesmo bairo
COMBAIRRO –trabalhador sujeito ao regime de contrato, a forma dominante de trabalho a que eram sujeitos os trabalhadores africanos durante o regime colonial e caracterizada pela arregimentação compulsiva feita pelas autoridades admnistrativas a favor de empresas privadas e pela exploração brutal
CUACAR – voz de pato em verso
CUATADO – corrido ,expulso. De “ku kuata” , expulsar , correr atrás
CUBAR – rogar pragas , geralmente batendo as mãos no chão ou alçando-as encostadas a par. Para maior eficácia , o esconjuro deve ser feito em lugar consagrado a ídolos, ou na igreja, ou no cemitério
CUBATA – palhota , choupana , residência modesta. “ kubata – em casa
D
DEMBADO – região , área sob a autoridade de um Dembo ( grande chefe tradicional)
DIÁ-KSÓDIO – qualidade de abóbora
DIÁ-KIMBUANGO – qualidade de abóbora
DIÁ-KIMBUATA – qualidade de abóbora
DIAMBA – erva que se fuma, cânhamo, marijuana
DIAMBEIRO – o que fuma diamba
DICANZA – instrumento musical, espécie de chocalho de bordão de um metro de comprimento. É transversalmente sulcada a todo o comprimento, sendo oca a parte central , pelo que se talha uma abertura na face posterior. Maneja-se pelo atrito de uma vara delgada
DINHANGULA – abóbora
DINHUNGO – espécie de abóbora que se usa nos cozinhados
DIUTA – o mesmo que riúta, cobra venenosa existente em aAngola
DIXITA – do kimbundu 2dixita” – monte de lixo lixeira
E
ENXALADEAR – tornar xalado, louco, doido. Tb xaladear
ESFÍNGIDO – esfíngico fingido, fingoindo esfinge
ESLOCHO – de “slosh” ( João Guimarães Rosa) – ruído de coisa lamacenta
F
FANGUISTA – ladrão , ratoneiro
FEFENHAR – chupar ossinhos/espinhas com ruídos de prazer
FERRÃO – espécie de andorinha
FIMBAR –mergulhar. Do kimbundu “fimbar”
FIOTE – grupo etno-linguístico da região de Cabinda
FITUCAR – ficar zangado, bravo
FORRA – livre ; liberto ; não escravo
FUAFAR – ferver , espumejar na fervura
FUAFO – espuma
FUAFUAR – espumar, fazer espuma
FUBA – farinha ( ordináriamente de milho, massambala, massango, mandioca e batata-doce
FUCUMBA – rola (pássaro)
FULO/A – filho/a de mulata/o e Negra/o
FUNGUISSADA – mistura , misturada. Do kimbundu “ ku fungisa” -misturar
FUNJE (FUNJI) – massa cozida de farinha, denominada fuba, geralmente de milho, massambala, massango, mandioca ou batata-doce. Acompanha várias iguarias. Pelo seu poder de saciedade, entra diáriamnte nas refeições das pessoas de recursos mais escassos
G
GAIAVA – goiaba
GAJAJA – fruto da gajajeira , muito ácido
GAMARTO – calão para português recém. Chegado a Angola
GANGA-ZUZENSE – natural de Nganga-ZUZE (Icolo e Bengo)
GANJÉSTERES – corruptela de ganguesteres
GAPSE – golpe de luta
GUNBATETE – abelha obreira ; insecto que faz ninho de barro.
H
HONGA – baixa cultivada com canteiros de horta
I
IÁ-NDENGE – mais-novo ; menor
ICOLIBÊNGUICO – relativo a Icolo e Bengo
ILUNDO- em kibumdu “ ilundo” é o plural de “kilundu” – espírito
IMBAMBAS – cargas , pacotes , embrulhos , coisas. . O mesmo que bicuatas, em linguagem de formação umbunda
INFUNDÓRIO – o mesmo que “funje”
IXIMBI – plural de “kiximbi” – espírito tutelar que habita as águas
J
JÁ-SAMBA – de samba, qualidade de jindungo
JIBUIA – barulho , confusão
JIFI – planta fibrosa que serve para fazer artesanato; fibras que servem de chicote
JIMBOA – erva que serve para alimentação
JINDUNGO – fruto do jindungueiro, malagueta pequena
JINGONDO – jingado, ouro falso
JINGUBA – fruto da jingubeira , amendoim
JINGUNA – insectos que saem após a chuva, formiga de asas
JINZÉU – – formiga preta que morde muito
JITOJITO – a ardência do jindungo
JONJAR – comer debicando, aos poucos . Do kimbundu “ kunjonja
JUJUTO – corruptela de “ jujutsu
JUNCO – rabo-de-junco, passarinho de cauda comprida
L
LAMBANÇA – barulho , confusão
LARAR – defecar, cagar
LEIO – alheio, que não pertence ao próprio
LOBITANGO – do Lobito
LOGO-É – até logo
LOGO-LOGO – imediatamente
LUANDANO – natural de Luanda
LUANDO – esteira de pairo que se enrola na longitudinal
M
MABOQUE – fruto do arbusto do mesmo nome, que se come simples ou temperado com açúcar
MABUBA – cachoeira , cascata
MABUÍNHI – gengiva sem dentes
MABUÍNHICO – de mabuínhi, o que não tem dentes
MABUNDA – trouxa , pacote , embrulho
MACA – confusão palavrosa, discussão acesa. Do kimbundu “maka” – conversa ,fala ,palavra ,dito
MACANHA – tabaco
MACULUSSENSE – natural do Maculusso, antigo bairro de Luanda
MACUNHATANO – quer dizer :quinze. Dizia-se das moedas equivalentes a 1
MACUTA – antiga moeda , com diferentes valores, que circulou em Angola até aos anos de 1940
MADÍA – pronúncia luandense de “Maria”
MAFUMA – mafumeira
MAFUMEIRA – árvore de folha caduca na época da floração, atingindo 30 mts. De altura e mais. Da penugem que reveste as suas sementes faz-se a sumaúma e o caule é aproveitado, por escavação, para o fabrico de canoas
MAIS-VELHO – ancião , patriarca, pessoa que pela sua idade é cheia de saber e experiência e credora de respeito
MALANGINO – natural de Malange. Tb malangense
MALEMBELEMBE . O mesmo que malembe-malembe – muito devagar, com cautela
MANDIOQUEIRO – planta cujo tubérculo é muito utilizada na cozinha tradicional quer ao natural ( cru , cozido , ou assado ) quer reduzido a farinha ( de mandioca
MANGONHA – preguiça , calaceirice
MANGONHEIRO – preguiçoso , indolente, lento
MANHENTO – que tem manhas, malicioso
MANO (A) – tratamento afectuoso que as gentes do povo se dão entre si
MAPUPO –uma espécie de abóbora semi-selvagem pouco utilizada na cozinha
MAQUEZO – cola (fruto africano)
MAQUILAGEM – disfarce cosmético, maquilhagem
MARIMBONDO – vespa
MARUFO – vinho de sumo de caju, ou de seiva de matebeira, palmeira ,palmito ou bordão. Tb Maruvo ou maluvo
MASCARIA – magicaria, práticas de magia
MASÓXI – lágrimas
MASSAMBALA – milho-miúdo, de grãos redondos; utiliza-se na fabricação da fuba
MASSANGANO – confluência
MASSEMBA – bailado Angolano , caracterizado por sembas ( umbigadas)
MASSUÍCAS – pedras que servem de trempe. Trempe regional
MATACANHA – puilga dos pés
MATACO – nádegas, traseiro , cu
MATETE – papas , massa de farinha cozida usada frequentemente na alimentação da gente pobre.
MATIAS – pássaro da região de Luanda
MATUENSE – aquele que é natural do mato, , no sentido , interior de Angola
MATUMBO – indivíduo boçal, de costumes grosseiros, selvagem, ignorante
MATUTO – ou que matuta, i.e. pensa
MAUINDO – pulga que penetra nos dedos e cria um pequeno saco onde põe os ovos
MAXIMBOMBO – autocarro, ónibus
MAZÔMBICO – mazombo ; apagado, sem genica, estúpido
MAZOMBO – estupido, tímido, parvo
‘MBORA – aimda
MENEQUENO –adeus, gesto de despedida, saudação
MERENGAR – dançar o merengue ( dança africana)
MILÉLICO – de “ milele” – panos que se usam como vestuário
MILONGO – remédio
MIONDONA – espíritos tutelares de cada pessoa
MISEKE – plural do kimbundu “ museke” – musseque
MOMA – jibóia, grande cobra
MONA – filho , criança, bebé
MONANDENGUE – criança , filhinho , garoto
MONANGAMBA – todo o que se dedica a trabalhos pesados, serviçal, carregador, estivador. Do kimbundu “ mon’a ndenge – filho de carregador
MUADIÊ (MUADIÉ) – senhor . Do kimbundu “ muadi” -amo , senhor , patraõ
MUAMBA – guisado de galinha ou de carne de vaca ou de peixe, adubado com água oleosa de dendém . Come-se com funge ou arroz –branco
MUANZA – árvore que dá sombra ao café ; mogno
MUBAFO – qualidade de árvore resinosa
MUBANGA – qualidade de árvore
MUBUBA – árvore
MUCAMA – escrava, reduzida a concubina pelo patrão
MUCEFO – qualidade de tamarindo mais ácido
MÚCUA – fruto do Imbondeiro
MUCUETO – – amigo do kimbundu “ mukuetu” = nosso amigo
MUENANTE – indivíduo meio boémio, meio vadio, Em Luanda é um tipo que entra nas festas e come sem pagar.
MUENEXI – o dono , o senhor da terra
MUFUMA – mafumeira
MUFUMEIRA – mafumeira
MUGENGE – gajajeira
MULEMBA – árvore de copa frondosa. Siómoro. Do kimbundu “ kulemba” – escurecer ( alusão à densidade da sombra
MUNGUBA – árvore de boa madeira
MUNGUELAS – árvores de boa madeira
MUQUIXI – dançarinos tradicionais, disfarçados
MURINGUE – bilha de barro para água
MUSSALO – peneira de palha, em forma de garrafão, com o fundo crivado . Do kimbundu “ kusala” – peneirar
MUSSEQUE .- bairo popular periférico, bairro-de-lata geralmente instalados em terrenos de areia. Do kimbundu “ um” –onde + “ seke” – areia

MUSSOLO – é um peixe de rio que vive nas lagoas e rios que no tempo seco fica metido no barro, daí o seu sabor característico
MUSSORONGO – um dos povos do grupo Kikongo
MUSSUEMBA – árvore
MUSTIÇADA – o mesmo que “ mestiçada”
MUTAMBA – tambarineiro
MUTETA – prato regional angolano. Almôndegas de pevides de abóbora
MUTOPA – cahachimbo
MUXACATO – obejecto que os feiticeiros e os quimbandeiros utilizam para a adivinhação. Compôe-se de um pedaço de aduela, de uns 20 cts de comprimento com uma concavidade longitudinal ao centro, onde, por atrito, se faz correr em toda a extensão um pauzinho denominado filho. Do kimbundu “kuxakata” – arrastar os pés. Alusão ao fricionamento
MUXILUANDA – designação do grupo étnico que habita as ilhas do Mussulo e de Luanda; distinguem-se dos da cidade, os chamados caluandas, que vivem nos musseques
MUXIMAR – lisonjear , gabar , falar ao coração
MUXITO – mato, floresta , matagal , selva
MUXOXAR – fazer um ruído de desprezo com os lábios, de um modo característico
MUXOXO – chio de boca manifestando desprezo, produzido por compressão do ar das bochechas. Do kimbundu “kuxoxo “ – escarnecer
MUZONGUÉ – caldo , sopa
MUZUNGE (MUTSUNDJI) – árvore madeirense
N
NGA – abreviatura de “ngana”
NGANA – senhora/senhor
NGOMA – tambor comprido, aproximadamente de um metro e meio, feito de cepo desmiolado de mafumeira, adelgaçado numa extremidade que fica aberta, e, na outra extremidade, vedado com pele tensa de veado ou corça
NITRIDOS – ruídos de bestas
NGUETA – branco ordinário. V. Guueta
O
OITIVA – de ouvido
P
PALAVRA-PODRE – palavrão, obscenidade
PANOS – vestimento tradicional das mulheres, consistindo de panos que envolvem o corpo, das axilas ao tornozelo
PARTIOSO – cheio de partes, de manias, de poses
PAU – árvore
PAU-A-PIQUE – método de construção em que o esqueleto é de pau e canas que se barreiam
PÉ-DE-QUEDES – pé calçado com sapatilhas de pano e borracha
PEIXE D’ONTEM – peixe frito que se deixa em molho de cebola e tomate durante dias a macerar
PIÁPIA – andorinha
PICA – colibri ( passarinho muito pequeno)
PIGARÇO – grisalho
PILÃO-E-MUSSALO – de ser feita no pilão e depois peneirada pelo mussalo, peneira tradicional
PÍRULA – pássaro angolano
PLIM-PLAU – pássaro de grande cauda
Q
QUEDE – sapato de pano e sola de
QUIABO – fruto do quiabeiro, muito usado na culinária Angolana
QUIANDA – sereia, divindade aquática
QUIASSA – diz-se , em kimbundu, de uma pessoa albina
QUIBABA – árvore de boa madeira
QUICONGUENSE – pertencente ao grupo etno-linguístico dos Kikongos, – Cabinda e Noroeste de Angola
QUIENZE – separação exagerada entre dois dentes
QUIÊNZICO – com “qienze”
QUIFUANE – árvore de boa madeira
QUIFUFUTILA – mimo muito apreciado, feito de jinguba, açúcar mascavado e farinha torrada tudo pilado e reduzido a pó fínissimo
QUILAMBA – o que sabe interpretar augúrios de quianda
QUILAPANGA – dança antiga , possívelmente de origem san-tomense
QUILEBA – alto , colocado alto. Do kimbundu “ku leba” – ser alto
QUILUMBA – moça , rapariga nova
QUIMBANDEIRO – curandeiro, adivinho-curandeiro
QUIMBANDESCO – vem de quimbanda. Criação
QUIMBIAMBIA – borboleta
QUIMBIÂNBICO – relativo ao esvoaçar da borboleta
QUIMBO – pequena povoação ; aldeia
QUIMBOMBO – bebida fermentada de milho mais forte que o quitoto
QUIMBUNDO – lingua nacional angolana, cuja área linguística se estende pelas províncias de Luanda , Bengo , Malanje e Kuanza-Norte. Tb pessoa deste grupo
QUINADO – vinho português assim chamado por conter, em mistura , quina
QUINDA – do kimbundu “kinda” – cesto. Mesmo sentido
QUIMDAMBIRENSE – natural de Kimdambidi
QUINDELE – chama-se assim à fuba muita branca, especialmente de milho
QUINDUCUTA – baixota e gorda
QUINDUCUTESCA – de quinducuta
QUIMDUMBA – cabeleira. Do kimbundu “ kimdumba – penteado , toucado
QUINJONGO – gafanhoto. Noutra acepção, designa o tecido de má qualidade
QUIPIAQ – tipóia
QUIPUPO –tarolo de milho
QUIQUERRA – mistura de farinha de mandioca, açúcar e jinguba
QUISSEMO – do kimbundu “ kisemu” – dito jocoso, crítico ou insultuoso
QUISSENDE – recusa, negativa, tampa. Do kimbundu “kisende – calcanhar
QUISSONDE – formigão avermelhado, de mordedura dolorosa
QUITANDA –mercado, feira , praça ,posto de venda.de géneros frescos , pequena loja ou banca de negócio
QUITANDEIRA/O – aquele/a que vende na quitanda
QUITANDE – guisado de puré de feijão , temperado com azeite de palma
QUITATA – prostituta
QUITEXENSE – natural do kitexi
QUITIBA – árvore das matas dos dembos
QUITOTO – bebida fermentada de milho, mais fraca que o quimbombo
QUITUTA – génio ; vive por toda a parte
QUITUTE – doce ; especiaria ; guloseima
QUIXIMBI – o mesmo que quianda
QUIZOMBA – dança animada,alegre movimentada
R
RABO-DE-JUNCO – pássaro de cauda comprida e plumagem acastanhada
RANGELISTA – do Rangel ( musseque de Luanda)
REVIENGA – movimento rápido de finta e engano
ROSQUEIRO – sodomita ; masturbador ( calão)
S
SÁ – abreviatura de senhor ( português popular de Luanda)
SACAFOLHAS – esparregado de verdura qualquer, quizaca
SAFÚ – fruto silvestre muito doce
SALALÉ – formiga branca , térmita
SANZALA – povoado , bairro indígena. Do kimbundu “kussanga” (tornar habitavel) + kukala
SAPE-SAPE – árvore da família das anonas ; o seu fruto
SAQUIDILHO – cumprimento , saudação
SENTE! – olha! ; escuta! ; ouve!
SERIPIPI – o mesmo que celeste – passarinho canoro muito comum em Angola
SEXA – cabra selvagem de pequeno porte , corça
SIRA – acácia-sira, uma das espécies desta árvore
SÔR – senhor. Tb só e sô
SOSSO – ensosso
SUINGUE – designação abreviada de suinguista
SUINGUISTA – era o dandy , o elegante popular da época em que se introduziu o “ swing” nos bailes
SUMBO – pássro parecido com o martim-pescador
SUNGADIBENGO – nome depreciativo dado aos mestiços na região de Luanda. Do kimbundu “ sunga o dibengu” – puxa o rato
SUNGAR – puxar
SUNGARIBENGO – o mesmo que sungadibengo
SUPIMPA – de bom gosto, que sabe bem
SUPIMPEZ – de supimpe , a qualidade
T
TACULA – árvore que atinge grande altura, de madeira vermelha ou esbranquiçada com veios vermelhos e muito usada em marcenaria
TAMARINDO – o mesmo que tambarino
TAMBARINEIRO – árvore frondosa que dá tambarinos
TAMBARINO – fruto do tambarineiro, bastante ácido
TIMÓTEO – nome próprio usado como adjectivo à toa . Neste caso refere-se a Timóteo Amadeu Amorim , grande batucador de ngomas, do “Ngola Ritmo”
TIPÓIA – palanquim de rede
TONGA – zona demarcada nas fazendas, para desbravar
TOPIA – galhofa, gracejo troça, mofa
TORTOLHOS – olhos tortos
TRIPETENTE – repetente mais uma vez
U
UABILUKAR – visão , transformar-se , metamorfosear-se
UATOBAR – do verbo kimbundu “ kutoba “ – fazer pouco caçoar
UATOBO – gritos , exclamações que se dão gritando : “uatobo!” (“ és parvo! “) e batendo com a mão aberta na boca
UATOUARINHA – muito doce, suave , terno . Do kimbundu “ ku touala “ –ser doce. Tb. Uatouadinha e iatouarinha
V
VAVÓ – avó no português de Luanda
VISGO – cola vegetal, resina de mulembeira
VUZAR – bater , agredir
X
XACATADA – arrastada ( “ku xacata” – arrastar os pés
XACATO – substantivo formado a partir do verbo “ xacatar” –arrastar os pés
XAXUALHO – rumorejo , sussurro
XAXUAXO –rumor ,sussurro
XIMBA – nome depreciativo e insultuoso que era atribuído aos cipaios
XIMBICAR – remar à vara, ordináriamente de bordão , espetando-o no fundo da água ( do rio ou mar)
XINGAR – proferir obscenidades, injuriar , ofender com palavras
XINGILADORA – que invoca os espíritos , medium
XINGO – insulto
XINGILAR – sofrer a incorporação de seres espirituais, cair em transe
XINGUILO – acto de entrada em transe
XUAXO –sussurro , arrulho , rumor
XUCULUCAR – revirar os olhos , como demonstração de rancor ou desprezo
Z
ZUARTE – ganga , espécie de tecido azul
ZUNA – muito depressa , com velocidade
ZUNIR – atirar , arremessar , andar com velocidade
ZUZUTO/A – parvo/a aparvalhada/o

Adapted by Nova Página

Este website utiliza Cookies de modo a proporcionar-lhe a melhor experiência de navegação e aceder a todas as funcionalidades. Para aceitar a sua utilização, continue a sua navegação.Aceitar Saber mais



Fotos de peixes de agua doce ornamentais 74
Peixes Ornamentais de gua Doce Conhea os mais bonitos
Fotos de peixes de agua doce ornamentais 45
Piscicultura Santa Cndida, Peixes Alevinos, Juvenis e Adultos
Fotos de peixes de agua doce ornamentais 64
Pesca Gerais Os principais peixes das guas brasileiras
Fotos de peixes de agua doce ornamentais 63
Site Floresta gua do Norte - Amaznia - Celcoimbra
Fotos de peixes de agua doce ornamentais 99
Como Tratar o ctio nos Peixes Ornamentais - m
Fotos de peixes de agua doce ornamentais 86
Vocbulos - Kimbundu/Portugus AngolaBela
Fotos de peixes de agua doce ornamentais 43
Fotos de peixes de agua doce ornamentais 62
Fotos de peixes de agua doce ornamentais 58
Fotos de peixes de agua doce ornamentais 25
Fotos de peixes de agua doce ornamentais 89
Fotos de peixes de agua doce ornamentais 1
Fotos de peixes de agua doce ornamentais 96
Fotos de peixes de agua doce ornamentais 33
Fotos de peixes de agua doce ornamentais 60
Fotos de peixes de agua doce ornamentais 89